Pular para o conteúdo

Faculdade de Farmácia

Extensão universitária

A Extensão universitária

“ A Extensão Universitária, sob o princípio constitucional da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, é um processo interdisciplinar educativo, cultural, científico e político que promove a interação transformadora entre universidade e outros setores da sociedade” (FORPROEX, 2012).

As diretrizes devem orientar a formulação e implementação das ações de Extensão Universitária, contando com a participação obrigatória de docentes e/ou técnicos-administrativos, discentes e setores da sociedade. Possibilitando aos discentes uma formação mais cidadã, através da interação com novas realidades, que agreguem conhecimentos e experiências para além das vividas no mundo acadêmico.

Promover a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão nas ações realizadas;

1. Contribuir para a formação dos estudantes de graduação e pós-graduação;

2. Favorecer a renovação e a ampliação do conceito de “sala de aula”;

3. Desenvolver com o comprometimento orgânico de suas estruturas;

4. Possibilitar novos meios e processos de produção, inovação e transferência de conhecimentos, permitindo a ampliação do acesso ao saber e o desenvolvimento tecnológico, cultural e social do país;

5. Prover de forma institucional o cumprimento de, no mínimo, 10% (dez por cento) do total da carga horária curricular estudantil dos cursos de graduação para as ações de extensão.

A essência da profissão farmacêutica está ancorada no atendimento as necessidades dos pacientes para a promoção da saúde, o que naturalmente desenvolve processos extensionistas em suas ações laborais. Sendo assim, na Faculdade de Farmácia, as atividades de extensão são vistas como oportunidades de estreitamentos do elo entre a Universidade e sociedade, que viabiliza a relação transformadora entre elas, democratizando o conhecimento acadêmico, de modo que tanto a universidade como a comunidade externa sejam beneficiadas de maneira direta e imediata. Além disso, é vista como um processo acadêmico indispensável tanto na formação dos discentes quanto na qualificação dos docentes e técnicos-administrativos.

As ações de extensão na Faculdade de Farmácia priorizam práticas voltadas ao atendimento das necessidades sociais e são relacionadas às áreas da Educação, Saúde, Tecnologia e Produção. Dessa forma, ampliando a oferta de oportunidades, disponibilizando conhecimento, ampliando o acesso ao saber, e melhorando a qualidade da educação da comunidade, contribuindo para a solução de alguns problemas sociais do País, e favorecendo a visão integrada do social.

Algumas ações de extensão da Farmácia

Previous slide
Next slide

A extensão na Farmácia

Programas

A Farmácia Universitária há cerca de 32 anos começou a desenvolver projetos de extensão que objetivam o uso racional de medicamentos pela população. Manipulando, dispensando, orientando, fazendo farmacovigilância, educando e realizando o acompanhamento farmacoterapêutico dos usuários de medicamentos alopáticos e homeopáticos, por meio da interação dialógica entre os atores sociais farmacêutico-discente-prescritor-usuário do medicamento cumprindo seu papel na extensão universitária. Clique aqui e conheça a nossa Farmácia Universitária!

Cursos

Coordenação: Theo Luiz Ferraz de Souza

A educação popular em saúde significa um conjunto de práticas de educação para indivíduos e comunidade a fim de aumentar a autonomia das pessoas e da comunidade para que possam fazer escolhas e adotar hábitos saudáveis de vida. O curso de extensão Iniciação à Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde tem como objetivos gerais despertar o interesse de estudantes e professores para a ciência, tecnologia e inovação em temas de saúde pública, e trazer noções dos seus impactos na sociedade e em políticas públicas, de forma a promover o desenvolvimento da sua autonomia e do pensamento científico, crítico, argumentativo e criativo. O curso integra o projeto de extensão Feira de ciência, tecnologia e inovação em Saúde. O curso será de iniciação, totalmente on-line e por meio de metodologias ativas. As vivências, experiências e observações prévias dos cursistas serão instigadas e posta em discussões em fóruns assíncronos, e mesas redondas e rodas de conversa em salas virtuais. Dentre o conteúdo programático, temos: metodologias de pesquisa bibliográfica, plágio e direitos autorais, escrita científica, metodologia científica e design thinking para resolução de problemas, tecnologias com ênfase em tecnologias educacionais, inovação tecnológica e seu impacto no desenvolvimento, inovação e empreendedorismo social, inovação em educação e impactos da ciência, tecnologia e inovação em políticas públicas, com ênfase em saúde e educação em saúde.

Coordenação: Maria Bernadete Riemma Pierre

A Nanotecnologia Farmacêutica e Cosmética trata do desenvolvimento, caracterização e aplicação de sistemas terapêuticos na escala nanométrica, com muitas vantagens sobre os convencionais. Os Nanomedicamentos, com liberação controlada de ativos, ou que podem libera-los em locais específicos do corpo e até mesmo vencer barreiras antes instransponíveis do organismo, e os Nanocosméticos, que agregam valor ao produto pelo melhor desempenho, tem sido alvos de pesquisa cientifica e aquecem o mercado global. Países desenvolvidos e alguns em desenvolvimento vêm investindo em pesquisa e desenvolvimento em nanotecnologia, devido ao enorme mercado potencial para tais produtos. Entretanto, há necessidade de capacitação e qualificação de pessoas para atender à crescente demanda das indústrias e sociedade. Portanto, incorporar conceitos de nanotecnologia é uma necessidade para o incentivo e a crescente formação de recursos humanos para atuação em pesquisa, ensino, desenvolvimento e produção industrial. O curso será destinado para estudantes de diferentes áreas, como Farmácia, Biologia, Biomedicina, Biotecnologia, Medicina, Engenharia, Química, Tecnologias, Enfermagem, Física Médica, profissionais na área da saúde, farmácias, indústria e professores do ensino médio e fundamental. O curso possibilitará o conhecimento das aplicações e dos produtos nanotecnológicos no mercado atual.

Coordenação: David Majerowicz

A população brasileira tem reconhecidos baixa proficiência em língua inglesa e desempenho em ciências. Esse quadro não melhora quando se olha o corpo discente universitário, onde 40 % dos estudantes compreendem apenas o básico de leitura em inglês. Como a ciência internacional é produzida em inglês, parte significativa dos alunos de graduação tem dificuldades em entender as informações e extrair os resultados e conclusões presentes em artigos científicos. Sem essa capacidade fundamental, os estudantes não conseguem avançar na carreira científica, rumo aos cursos de pós-graduação. Dessa forma, o objetivo desse curso de extensão é treinar alunos de graduação das áreas da saúde e biomédica provenientes de diferentes IES para leitura e interpretação de artigos científicos em inglês. Especial enfoque será dado na captação de alunos que se enquadrem como alvo das ações afirmativas destas IES e também do Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas (PPGCF) da UFRJ. Como meta final, objetivamos que estes alunos se qualifiquem para o futuro ingresso em programas de pós-graduação na área das ciências biomédicas. Para isso, nossa proposta é criar e aplicar uma série de atividades para desenvolver nestes alunos noções de inglês instrumental, interpretação de resultados e gráficos, aprimorando sua capacidade analítica geral. A equipe executora será formada por professores, alunos de graduação e de pós-graduação, e pesquisadores de pós-doutorado do PPGCF.

Coordenação: Aline Guerra Manssour Fraga

O curso “Práticas Integrativas e Complementares (PICS) na promoção da saúde mental” foi idealizado e formulado no contexto da realização do “I Webnário: Uso Racional de Psicofármacos na Promoção da Saúde Mental”, o qual, por sua vez, está vinculado ao projeto de extensão “Medicamentos e saúde mental: Promoção do uso racional de Psicofármacos”, desenvolvido pela Faculdade de Farmácia da UFRJ em parceria com a Secretaria de Saúde do Município do Carmo, localizado no interior do Estado do Rio de Janeiro. Este curso em específico, ofertado na modalidade à distância com carga horária total de 8h, visa à atualização profissional e a troca de saberes com as equipes de saúde do Município do Carmo-RJ ou de outros municípios eventualmente interessados, as quais estejam engajadas no emprego das Práticas Integrativas e Complementares que podem ser empregadas para promoção da saúde mental, mais especificamente, plantas medicinais e Florais de Bach. O conteúdo programático proporcionará a revisão, discussão e consolidação de conceitos importantes relativos aos seguintes tópicos: i) principais plantas medicinais empregadas na saúde mental; ii) indicações das plantas medicinais empregadas na saúde mental; iii) cultivos e cuidados das plantas medicinais empregadas na saúde mental; iv) Interações das plantas medicinais e medicamentos alopáticos; iv) Florais de Bach e saúde mental.

Coordenação: Maria Letícia de Castro Barbosa

O minicurso “Psicofármacos: Interações medicamentosas e metabolismo” foi idealizado e formulado no contexto da realização do “I Webnário: Uso Racional de Psicofármacos na Promoção da Saúde Mental”, o qual, por sua vez, está vinculado ao projeto de extensão “Medicamentos e saúde mental: Promoção do uso racional de Psicofármacos”, desenvolvido pela Faculdade de Farmácia da UFRJ em parceria com a Secretaria de Saúde do Município do Carmo, localizado no interior do Estado do Rio de Janeiro. Este curso em específico, ofertado na modalidade à distância com carga horária total de 8h, visa à atualização profissional e a troca de saberes com as equipes de saúde do Carmo-RJ ou de outros municípios eventualmente interessados. Neste curso, serão apresentados conceitos relevantes para o adequado emprego clínico de psicofármacos. O conteúdo programático proporcionará a revisão, discussão e consolidação de temas, como: i) ocorrência de interações medicamentosas entre os psicofármacos e entre esta e outras classes terapêuticas de fármacos; ii) principais aspectos relativos ao metabolismo de psicofármacos e seu eventual impacto para interações com outros medicamentos e alimentos; iii) variação na resposta individual ao tratamento a depender do perfil metabólico do paciente, o qual pode varia em consequência da idade, comorbidades, aspectos nutricionais ou como consequência de variações genéticas.

Eventos

Coordenação: Maria Letícia de Castro Barbosa

O “I Webnário: Uso Racional de Psicofármacos na Promoção da Saúde Mental” está vinculado ao projeto de extensão “Medicamentos e saúde mental: Promoção do uso racional de Psicofármacos”, desenvolvido pela Faculdade de Farmácia da UFRJ em parceria com a Secretaria de Saúde do Município do Carmo, localizado no interior do Estado do Rio de Janeiro. A presente ação, com formato de seminário online e duração total de cinco dias, visa à atualização profissional e a troca de saberes com as equipes de saúde do Carmo-RJ e, eventualmente, de outros municípios interessados, no que se refere ao tema central “Uso Racional dos Psicofármacos” no contexto da saúde pública no Sistema Único de Saúde (SUS). O público-alvo incluirá os profissionais de saúde atuantes em assistência e atendimento a pacientes com transtornos mentais, incluindo agentes comunitários de saúde, técnicos de enfermagem, médicos, farmacêuticos, enfermeiros, psicólogos, dentre outros. A participação no Webnário será gratuita. O programa abrangerá palestras e mesa-redonda com a participação de especialistas no tema, além da oferta de três minicursos que abordarão as seguintes temáticas: I. Uso Racional de Psicofármacos – Conceitos Básicos; II. Psicofármacos: Interações medicamentosas e Metabolismo; III. Práticas Integrativas e Complementares (PICS) na promoção da saúde mental.

Projetos

Coordenação: Theo Luiz Ferraz de Souza

O projeto “Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde” tem como objetivos principais promover o interesse pela ciência desde o Ensino Fundamental, aproximar estudantes de Escolas Públicas da realidade da Universidade, gerar produtos que levem à conscientização crítica para a promoção da saúde e do autocuidado, a partir da elaboração conjunta (integração Universidade-Escola) e inovadora de projetos de ciência e tecnologia em diferentes temáticas em sintonia com as demandas sociais. Por fim, os produtos gerados a partir da interação dialógica Universidade-Escola são apresentados no evento “Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde”. Conheça o projeto!

Coordenação: Elisabete Pereira dos Santos

O acesso à fotoeducação é o primeiro passo para o estabelecimento de uma política de educação em saúde, representada pela interação dialógica entre os atores sociais (usuários de medicamentos, comunidade em geral, farmacêuticos e discentes). Muitas doenças tiveram grandes avanços na sua propagação nos últimos tempos, e o câncer de pele é uma delas. Por ser uma neoplasia que atinge a população de forma gradativa, se percebe pouca preocupação nos cuidados de prevenção dessa doença. O uso de bonés, óculos, roupas adequadas, evitar horários inadequados de exposição ao sol e a utilização dos protetores solares são medidas eficazes para a prevenção do câncer de pele. Conheça o projeto!

Coordenação: Eduardo Ricci Junior

O projeto visa organização ações de extensão relacionado com prevenção de doenças causadas pela picada de insetos. A equipe formada por docentes, farmacêuticos e alunos de vários cursos tem como objetivo orientar sobre os cuidados com a utilização do repelente de insetos, os diferentes tipos de repelentes, como prevenir a proliferação dos mosquitos e as características de cada doença causada por mosquito. O público-alvo é diversificado e vai desde adultos, crianças, adolescentes e gestantes. O material será adaptado para cada público-alvo. O projeto trabalha com dois tipos de ações: ação presencial (quando possível) com palestras expositivas e dialogadas, distribuição de informativos, jogos. Conheça o projeto!

Coordenação: Viviane Lione

Elaborar material de apoio para a pessoa com deficiência, principalmente autistas; Participar das discussões e estudos em torno da temática da pessoa com deficiência, principalmente o autista; Elaborar material pictográfico para embalagens de medicamentos que auxilie na farmacoterapia da pessoa com deficiencia, principalmente o autista; Promover a atenção farmacêutica para o uso racional de medicamentos, da pessoa com deficiência, principalmente o autista; Participar da organização do Encontro em diversidade e inclusão de Maricá. Conheça o projeto!

Coordenação: Mariana S. S. B. Monteiro

O Brasil tem adotado estratégias que visam ampliar o acesso a medicamentos, por meio de regulamentações de grande relevância para o sistema de saúde. Nesse contexto, a Farmácia Universitária da Faculdade de Farmácia da UFRJ representa um estabelecimento de saúde, que abre oportunidades para o intercâmbio entre os problemas sociais e a educação, com campanhas sanitárias, buscando uma melhoria da qualidade de vida da população, portanto é um dos locais apropriados para fornecer orientação acerca do uso racional de medicamentos. O projeto tem como objetivo estabelecer uma interação dialógica (professores, farmacêuticos, alunos de graduação e usuários de medicamentos). Conheça o projeto!

Coordenação: Maria Letícia de Castro Barbosa

O projeto “Medicamentos e saúde mental: Promoção do uso racional de Psicofármacos” é um projeto de extensão da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em parceria com a Secretaria de Saúde do Município do Carmo, no interior do estado do RJ, visando promover e fomentar o Uso Racional de Psicofármacos. Os Psicofármacos têm grande importância no tratamento de diferentes doenças e transtornos mentais, sendo usualmente associados a outras ferramentas terapêuticas visando assegurar a melhoria de pacientes em sofrimento psíquico. Por outro lado, o consumo excessivo e/ou inadequado e o potencial de abuso associado a esses medicamentos ou mesmo o seu uso indevido por períodos que podem prolongar-se além do necessário representam um grave problema de saúde pública. Qualquer medicamento não é totalmente isento de riscos e deve ser utilizado apenas quando há real indicação clínica. O projeto em questão promove diversas ações de capacitação e atualização profissional das equipes de saúde vinculadas à Coordenação de Saúde Mental e à Coordenação da Atenção Básica do Carmo, tornando-as ainda mais bem preparadas para o cuidado qualificado e atento dos pacientes usuários de Psicofármacos e de toda a população. O projeto é coordenado pela Profa. Dra. Maria Letícia de Castro Barbosa da Faculdade de Farmácia da UFRJ, contando também com a participação de outros docentes da UFRJ, como a Profa. Dra. Milene Rangel (FF, UFRJ), a Profa. Dra. Aline Guerra M. Fraga (FF, UFRJ) e a Profa. Dra. Marina Amaral Alves (IPPN, UFRJ), além do engajamento de diversos graduandos do curso de Farmácia da UFRJ, trabalhando em parceria com as equipes de Saúde Mental e Atenção Básica do Município do Carmo com o objetivo de fomentar a adequada gestão do cuidado em saúde mental e a elaboração de protocolos clínicos e políticas para a prescrição, utilização e distribuição segura de Psicofármacos.  Além disso, o Projeto visa o esclarecimento e divulgação científica sobre o “Uso Racional de Psicofármacos na promoção da Saúde Mental”, empregando linguagem acessível e de fácil compreensão, com enfoque principal voltado a pacientes, cuidadores e familiares. Conheça o projeto!

Coordenação: Lucio Mendes Cabral

O presente projeto visa preparar materiais para uso em ONGs e outras instituições educacionais não formais como igrejas, associações e cooperativas, por docentes e estudantes da Faculdade de Farmácia da UFRJ. Com o intuito de promover a educação não formal, destinada a proporcionar ao público alvo, conhecimentos que lhe permitam qualificar-se, aperfeiçoar-se, atualizar-se para o ambiente de trabalho e aprimoramento científico e pessoal na área da saúde. Especificamente, este projeto tomou como objetivo, difundir ações relacionadas as áreas de reciclagem de medicamentos e ao Uso Racional de Medicamentos, especialmente por idosos e crianças entre 0 a 3 anos. As ações do projeto viabilizarão a difusão das conquistas e benefícios resultantes da criação cultural e da pesquisa científica e tecnológica geradas na instituição pela transmissão de valores morais e ensinamentos na vida familiar e na convivência humana. O projeto consisti em atender a demanda de educação não formal de instituições, tais como ONGs, entidades religiosas, associações de classe, fundações, sindicatos, empresas com projetos de educação corporativa, nos quais os estudantes e profissionais da área de saúde tenham papel de difusor de conhecimento. Como resultados o grupo já conta com o desenvolvimento do Learning in Drops (instagram: @learningindrops), com atualmente mais de 3.000 seguidores. Com isso, o presente projeto está incrementando a prática extensionista da UFRJ como forma de aprimorar o desenvolvimento humano, além de integrar os créditos de extensão do curso de graduação em Farmácia e demais áreas da saúde. O projeto é coordenado pelo professor Lucio Mendes Cabral, professor Titular, da Faculdade de Farmácia (FF), e conta com a participação: Alessandra Mendonça Telles de Souza, Ana Carolina Rennó Sodero, Barbara de Azevedo Abrahim Vieira, Carlos Rangel Rodrigues, Claudia Pinto Figueiredo, Claudyane Alves da Silva, FLAVIA ALMADA DO CARMO, JEANY RIBEIRO DA SILVA MELO, JOSE CARLOS SARAIVA GONCALVES, JULIA CORREA DE LIMA, MAISA TEODORO CELESTINO, MARIANA SATO DE SOUZA DE BUSTAMANTE MONTEIRO, RAPHAELLA ALVES DOS REIS CARVALHO, RAYANNE BILOURO AFFONSO DE ANDRADE, VALERIA PEREIRA DE SOUSA. Conheça o projeto!

Coordenação: Luciana W. Serrão

A trombose pode causar a morte de uma em cada quatro pessoas no mundo, por ano. A mesma ocorre quando temos a formação de um coagulo em um vaso sem lesão, obstruindo a irrigação sanguínea em tecidos e órgãos. Existem diversos fatores que podem predispor um indivíduo, tais como: fatores genéticos, meio ambiente e/ou procedimentos, doenças prévias como Doença falciforme e câncer, dentre outros. A divulgação do saber e conhecimentos sobre essa patologia vem sendo cada dia mais crucial para a sua prevenção e diagnóstico precoce, facilitando assim o tratamento e prevenindo possíveis complicações decorrentes destes eventos, as quais podem levar a sequelas permanentes ou até a morte. Conheça o projeto!

Coordenação: Thiago Botelho Azeredo

O Observium se dedica à geração de informações de interesse público sobre a segurança e a utilização de medicamentos. Busca a construção compartilhada e a difusão de informação consolidada, em veículos científicos e não científicos e por meio de sítio eletrônico e plataformas de redes sociais na internet. O ambiente de informações na internet consiste em desafio específico, em especial em época de fake news (notícias falsas) sobre saúde. As atividades de extensão do OBSERVIUM visam: à divulgação científica das informações geradas no esforço de ensino, pesquisa e cooperação; à dinamização de canais de interação com a sociedade; e, ao subsídio à autoridade regulatória. Conheça o projeto!

Coordenação: Aline Guerra Manssour Fraga

O Tá na Hora de Tomar o Remédio é um projeto de Extensão Universitária elaborado e desenvolvido por docentes e discentes da Faculdade de Farmácia/UFRJ, demais cursos da UFRJ, além de colaboradores externos.

Com o advento da pandemia, foi necessário migrar as atividades presenciais para o modelo remoto. Sendo assim, de Abril/2020 a março/2022, atuamos exclusivamente nas redes sociais, por meio do perfil no Instagram @tanahoradetomaroremedio e da página no Facebook “Tá na hora de tomar o remédio” e, agora, também, estamos retornando as atividades presenciais.

Nosso objetivo é além de realizar o Cuidado Farmacêutico em nossas ações, contribuir com a divulgação científica e a literacia em saúde por meio de ações educacionais envolvendo as áreas de cuidado farmacêutico, acessibilidade e inclusão, e saúde do idoso.

Nós desenvolvemos e publicamos materiais gráficos, audiovisuais e podcasts, cujos temas são escolhidos com base em atualidades, pertinência ao público-alvo, datas e períodos comemorativos e, também, adaptados segundo demanda de instituições e grupos parceiros. Conheça o projeto!

Coordenação: David Majerowicz

Nosso objetivo é ensinar como analisar dados científicos e como alcançar as fontes confiáveis na Internet para alunos do Ensino Médio do Rio de Janeiro. Para isso, nós vamos desenvolver atividades onde os próprios alunos vão gerar produtos de divulgação científica para novas mídias. Os alunos serão divididos e caberão a eles escolher o tema abordado as fontes de pesquisa e o tipo de produto final. Caberá a equipe o papel de moderadores, mostrando quais são as fontes confiáveis, qual é a linguagem apropriada para a divulgação e abordando as questões éticas, como plágio na rede. Os produtos gerados serão divulgados pela Internet, através do canal de divulgação científica “A Porta de Marfim”. Conheça o projeto!

Coordenação: Leolpoldo Clemente Barato

Este projeto de extensão possui um canal de divulgação científica sobre Botânica em geral e Plantas Medicinais, chamado “PlantaCiência”, nas mídias sociais (@plantaciencia), além de um website (www.plantaciencia.com). O canal publica conteúdos na forma de infográficos, vídeos, textos e podcasts, conteúdos estes elaborados a partir de atividades realizadas em escolas públicas de ensino fundamental e médio do estado do Rio de Janeiro. Conheça o projeto!

Coordenação: Ana Claudia de Vieira Macedo

O projeto ‘Uso e cultivo racionais de plantas medicinais e plantas alimentícias não convencionais (PANC) pelos agricultores de Magé e Guapimirim, RJ’ teve início em 2012. São objetivos do presente projeto: Incentivar o uso racional e responsável das plantas medicinais; Resgatar os saberes da população em relação às plantas da região, sobretudo quanto ao uso adequado das espécies de uso medicinal e alimentar; Incentivar o cultivo de espécies de uso medicinal nas hortas caseiras para emprego seguro através de orientações adequadas de emprego, dosagem, riscos e formas farmacêuticas adequadas através de oficinas, elaboração de manuais e aplicativos para dispositivos móveis e web. Conheça o projeto!

Coordenação de Extensão

A Extensão da Faculdade de Farmácia é planejada e gerida por uma coordenação dinâmica e dedicada, composta por professoras com longa experiência na área. Ambas atuam na coordenação de nossos serviços de atendimento ao público: o Laboratório de Análises Clínicas da Farmácia e a Farmácia Universitária de Manipulação.

Coordenação
WhatsApp Image 2023-12-11 at 11.44.18

Mariana Sato

Coordenadora

Luciana Serrão zap

Luciana Serrão

Vice-coordenadora

Contato

Procedimentos Operacionais Padrão

2021

https://farmacia.ufrj.br/wp-content/uploads/2023/04/POP21.01_CTECFAR_FF_Uso_Racional_de_Antimicrobianos_Paula_Chagas_GuaciraMatos.pdf

https://farmacia.ufrj.br/wp-content/uploads/2023/04/POP21.02_CTECFAR_FF_Diagnostico_Molecular_da_Deficiencia_de_6GPD-1_DeboraMenezes_HelenaKeiko.pdf

Livros, e-books e capítulos

Manuais técnicos

Relatórios técnicos

Trabalhos técnicos

Artigos científicos